Novembro, 9 – Resenha

Esse foi o primeiro livro que li da Colleen Hoover, e quando eu procurei por esse livro eu já sabia que não era um daqueles romances onde temos uma história linear e tudo sai perfeito. Eu podia sentir tocando no livro que muita bagunça emocional estavam por vir. Então eu comecei a ler e foi ai quando eu comecei temer. Oh não. Lá estava eu apaixonada por Ben.

Você jamais conseguirá se encontrar enquanto estiver perdida em outra pessoa.

Autora número 1 da lista do New York Times retorna com uma história de amor inesquecível entre um aspirante a escritor e sua musa improvável.

Fallon conhece Ben, um jovem escritor, no dia da sua mudança para Nova York. A química instantânea faz com que passem o dia inteiro juntos – a vida atribulada de Fallon se torna uma grande inspiração para o romance que Ben pretende escrever. A mudança de Fallon é inevitável, mas eles prometem se encontrar todo ano, sempre no mesmo dia. Até que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fabricação de Ben em nome do enredo perfeito. 

Fallon meets Ben, an aspiring novelist, the day before her scheduled cross-country move. Their untimely attraction leads them to spend Fallon’s last day in L.A. together, and her eventful life becomes the creative inspiration Ben has always sought for his novel. Over time and amidst the various relationships and tribulations of their own separate lives, they continue to meet on the same date every year. Until one day Fallon becomes unsure if Ben has been telling her the truth or fabricating a perfect reality for the sake of the ultimate plot twist.

Uma das coisas mais interessantes desse livro é como ele é montado. Cada parte no lugar certo, definitivamente não teria o mesmo impacto se conhecêssemos apenas a visão da Fallon da história. E é por isso além da diagramação ser perfeita, os capítulos são alternados entre Ben e Fallon como narradores.

Você começa a ler e você começa esperar que algo terrível aconteça e você  fica torcendo pra não ser tão terrível , que seja perdoável se acontecer. Porque você já gosta tando dela e tanto dele. E passagem de tempo entre uma parte e outra é de um ano e muita coisa pode acontecer durante um ano. E então quando algo acontece, uma angústia te consome, e parece que tudo sai tão atropelado que você não sabe o que pensar.

Então você espera.

Você respira, mas ainda falta ar. Então você poderia terminar o livro em três dias. Mas você não quer, você pode não suportar. Você para e termina o livro só no outro dia.

Porque é algo tão verdadeiro que chega a ser inesperado de tão óbvio. E é assim que personagens imperfeitos se tornam perfeitos. Porque são reais, e vivem situações que se você tiver visão, são muito comuns.  Mas é claro que estamos falando de ficção, Ben e Fallon  não existem realmente. O que seria um ponto negativo é a chance de algo assim, acontecer com uma atriz de 16 anos que teve sua carreira destruída depois de ficar desfigurada após um incêndio.  Mas mesmo que isso nos distancie, as referências aos livros e filmes atuais dão um toque pessoal que parece que Fallon e Ben são seus amigos da faculdade e são tão reis quanto você.

Fiquei com vontade de ler os outros livros da Colleen Hoover. E com certeza o dia 9 de novembro se tornou marcante.

Anúncios

Soneto da Fidelidade

Poema de Vinícius de Moraes

Esse é um poema que eu tenho quase certeza que ouvi o Arthur da novela Totalmente demais recitar pra Elisa.

Soneto da Fidelidade
(Vinícius de Moraes)

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Como colocar e retirar lente da câmera

Se você comprou uma DLSR e ela ainda não chegou e não tem habilidade ainda com ela, confira o passo a passo explicando como colocar lente na sua câmera.

Para o exemplo foi usada a câmera Canon T5

  • Primeiro você deve iniciar localizando os pontos brancos na câmera e
    na lente, pois depois eles devem se encontrar.
    localizar pontos na camera
  • Então os dois pontos brancos devem se encontrar quando for por a lente.
  • Mas para isso você precisa colocar o ponto branco da lente alinhado antes do ponto branco câmera.alinhar
  • fazendo o giro quando os pontos brancos se encontrarem você vai sentir uma conexão.
  • e depois ultrapassar até a lateral.
  • Para retirar a lente: só precisa apertar o botão da lateral e girar no sentido contrario.

retirar lente

Assista ao vídeo para compreender melhor:

 

 

Shadowhunter – The Mortal Cup

Os melhores momentos do episódio piloto.

Sendo um episódio piloto, normalmente é destinado para apresentar os principais personagens e preservar um pouco da história dos livros que originaram a série, mas lembrando que se trata de uma adaptação transmídia, a serie tem algo a acrescentar a história original, ou seja, somar.

Então vamos lá, eu acho que fomos todos muito bem apresentados aos personagens principais, e a entrada triunfal da Izzy, Alec e Jace com um trilha sonora espetacular [Ruelle – Monsters]. É claro que se você não leu os livros, você não sabe muito bem ainda o que é essa realidade de ser um caçador de sombras, mas também vivemos um começo misterioso no livro e aprendemos sobre esse mundo junto com Clary.

Mas vamos por partes falar da personalidade de alguns personagens com os melhores momentos desse episódio.

Clary

Confesso que fiquei com um pouco de medo da Clary lá no início com a blusa preta e tal, depois eu percebi que foi um presente e não algo que ela usaria usualmente em sua vida mundana, eu adorei o casaco verde, acho que combinou perfeitamente com a personalidade dela e com o que eu imaginava dos livros, verde realmente é a cor pra essa ruiva. E a gente pode ver também que o tom do ruivo dela é bem ativo, bem vibrante, então nada de Clary mosca morta.

Gostei que os desenhos, dos símbolos (runas) que foram feitos de forma bem mais sutil do que no demonstrado do filme, parece mais aceitável, os poderes do Magnus aqui são maiores do que do Magnus do filme [risos].

Detalhe interessante é o biscoito que ela levanta e coloca na mesa e ele se transforma em desenho. Muito bom isso, uma pista pra outras descobertas que foi bem fundamentada desde o episódio piloto.

ClaryComo alguém tão esperto e perceptivo como você, não percebe que tem alguém ao lado apaixonado por você?

Simon- Garanto que não sou o único esperto e perceptivo a cometer esse erro.

Simon

O Simon é o Simon que nós conhecemos, (embora seja bem curta sua exposição) nerd lindo que tem 92 seguidores no twitter e esconde uma nítida paixão secreta pela Clary. Nesse episódio o Simon tá sempre do lado da Clary e ta muito sem entender o que ta acontecendo com a amiga e faz parte do lado cômico na história, e ele cantou com violão Forever Young bem fofo mas acredito que logo nós vamos descobrir o lado mais profundo do personagem.

SimonClary, quem é esse? O seu traficante?

 

Jace

Eu consegui sentir a sincronia com o verdadeiro Jace com um passado confuso que através, do humor e arrogância consegue passar despercebido a profunda angústia que esconde. Ele mantem a pose e mesmo assim demonstra grande interesse pela Clary, uma atração por laços muito fortes. Acho que prevaleceu aquele Jace sabe de tudo na personalidade querendo explicar tudo.

Jace – Você tem a visão.

JaceNenhum Obrigado por salvar sua vida?

Irmãos Lightwood – Alec e Isabelle

Isabelle com certeza aparece poderosa na serie, mantendo suas jóias/armas colar de rubi e chicote no braço que tem seus poderes e Alec demonstrou as características necessárias para manter o posto de ‘Pai’ da equipe, o certinho e sempre preocupado.

Isabelle –Demônios gostam de loiras

Alec – Claro que gostam, mas isso é branco

Isabelle – Platinado

Magnus

É notável uma evolução de estruturação do personagem do filme para a serie, onde Magnus que eu considero elegante e sofisticado estava mais para ridículo em sua primeira aparição (acontece). Ele parece ainda mais poderoso na serie e perverso, no entanto quando o vejo sentado na boate, logo me vem a cena de Chuck Bass de Gossip Girl em sua boate.

Jocelyn  e Luke

Quanto a mãe de Clary tive a mesma impressão anterior, de proteção extrema pela filha e muito a esconder. E Luke de dono de livraria para Policial mostrou muita melhora quanto a trama, pra deixar ela mais adulta.

Apesar de ter gostado bastante da serie, não gostei muito dos demônios e nem da maneira como ficam as runas na pele, mas pelo o que acompanhei nas filmagens a serie só tem a evoluir, até mesmo nesse aspecto, a produção dos irmãos do silencio pareceu muito realista. É isso até o próximo episódio, você encontra um por semana na netflix.